The Kinks: alternativos no Brasil, ameaça para os Estados Unidos

Foto: Reprodução da internetThe Kinks foi formada em 1962. Como a maioria das bandas britânicas dos anos 60, fez parte do grupo que lançou um movimento que ficou conhecido pelos norte-americanos como “Britsh Invasion” (Invasão Britânica) num momento em que o rock’n’roll, agonizava exatamente onde havia sido criado, nos anos 50, por nomes como Elvis Presley, Little Richard, Jerry Lee Lewis, Jonhy Cash, Chuck Berry e tantos outros. Flertavam com o blues e o rithym and blues, além de incorporar elementos do folk e do country. A banda foi formada pelos irmãos Ray Davies e Davie Davies nas guitarras, Mick Avory na bateria e Peter Quaife no baixo. Ray era considerado “o cara”: era guitarrista, vocalista e destacou-se também como principal compositor e arranjador, além de ter produzido os melhores álbuns da banda. É conhecido na história do rock um dos mais respeitados letristas. Abordava em suas canções temas sociais e políticos que, não raramente, causavam muita polêmica no Reino Unido

Foto: Reprodução da internetPara se ter uma ideia da importância dos Kinks no cenário rock’n’roll da década de 60, eles disputavam o 2° lugar nas paradas britânicas com os Rolling Stones, que só perdiam em vendagem de discos para os Beatles. Em 1964, The Kinks lançou “You Really Got Me”, seu primeiro hit, que tornou-se sucesso estrondoso na Inglaterra e nos E.U.A. No Brasil, chegou humildemente mais pelo circuito alternativo, pois aqui não tínhamos rádios que “ousassem” tocar tal tipo de música. Reza a lenda que o solo central de guitarra dessa música foi feito por ninguém menos que Jimmy Page, na época guitarrista da banda The Yardbirds. Outro fato interessante, que também não se sabe se é lenda, é que o som distorcido das guitarras não foi obtido com o uso de pedal de distorção e sim com os auto-falantes dos amplificadores “furados” com caneta esferográfica. Consta na história do rock’n’roll que Pete Townshend, já na época fã dos Kinks, compôs “I Can’t Explain”, primeiro sucesso do The Who, baseado na harmonia e na levada de “You Really Got Me”.

No mesmo ano, aproveitando o sucesso de “You Really Got Me”, os Kinks emplacaram “All Day And All Of The Nitgth”, garantindo novamente o primeiro lugar nas paradas de sucesso. Nos anos de 1964 e 1965, fizeram sucesso com as canções “Waiting Or You”, “See My Friend”, “Set Me Free” e “Till The End Of The Day”. No verão de 65, aproveitando a fama da qual desfrutavam, partiram para uma turnê nos E.U.A. Após quartos de hotéis destruídos, prisão por uso de drogas e problemas por envolvimento com menores de idade, foram banidos e proibidos de retornar ao país por quatro anos.  De volta á Inglaterra, em 1966 laçam o mega sucesso “Sunny Afternoon”, alcançando números invejáveis na venda de discos.

Foto: Reprodução da internetEm 1968, fazem sucesso relativo com as canções “David Watts”, “Two Sisters” e “Death Of Clown”, esta cantada por Davie, primeiro guitarrista e irmão de Ray. Surpreendentemente, a música transformou-se num hit. No clipe promocional da época, Davie aparecia sozinho, sem os demais componentes da banda, cantando e tocando guitarra de saia, o que obviamente gerou uma série de especulações e notícias maldosas na mídia. A meta dos Kinks era voltar aos E.U.A., fazer mega shows e ganhar o mundo, pois era assim que as coisas aconteciam para as bandas inglesas. Para eles, era preciso “estourar” na terra do Tio Sam. Vencido o prazo de quatro anos, em 1969, os músicos retornaram aos Estados Unidos e lançaram a canção “Lola”, que tornou-se sucesso mundial, colocando novamente a banda no topo das paradas.

Após um período de lançamentos de álbuns e shows não tão bem recebidos por público e crítica, em 1973 alcançam mais uma vez as paradas de sucessos com “Day Light”. Já numa fase em que o rock’n’roll confundia-se com experimentos teatrais, lançaram os álbuns “Preservations ACT 1” e “Preservations ACT 2”. Em 1979, emplacaram “Budget”. Dali pra frente, a banda não parou de mudar de formação, tendo sido marcante, por exemplo, a saída nos anos 80 de Mick Avory, baterista fundador, por desentendimentos com Davie. Depois disso, Ray seguiu carreira solo. Em 2004, o ex-líder do Kinks foi homenageado pela rainha Elizabeth por sua contribuição à música: Ray Davies ganhou o título de Comandante da Ordem do Império Britânico. Levou um tiro defendendo uma senhora que estava  sendo assaltada numa rua de Londres, recuperou-se, casou-se com Chrissie Hinde (leia-se “The Pretenders”) e, da última vez que o assisti, interpretou “Lola” acompanhado de uma super banda de palco, no show em comemoração pelos 50 anos de reinado de Elizabeth, nos jardins do Palácio de Palácio de Buckingham. Show imperdível!!! Mas isso, é uma outra história.

Veja a banda tocando “You Really Got Me” ao vivo:

One thought on “The Kinks: alternativos no Brasil, ameaça para os Estados Unidos

  1. Cara.. excelente texto. Realmente não entendo até como os Kinks ainda não são tão conhecidos por aqui… é uma pena para quem não teve a oportunidade e por outro lado é bom, pois o som dos caras não ficam tão ‘batidos’ e viram clichês como dos Fab Four. Diga-se de passagem, na minha humilde opinião os Kinks são melhores.

    Parabéns pelo texto e bom gosto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Required fields are marked *.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>