Um pouco sobre o sentimento que moveu ‘Selfie-se quem puder’

Posted by Chris Fuscaldo Category: Mundo Ficção

Hoje faz uma semana do lançamento do clipe Selfie-se quem puder. Quando escrevi essa música, estava muito atacada por um sentimento que vira e mexe me assola. Acontece quando preciso de algo ou

de alguém e me dou conta de que não tenho como tê-lo (algo) ou com ela não posso contar (pessoa). Desde pequena, sou uma observadora do comportamento humano. Deve ser por isso que me tornei biógrafa. Mas, mesmo compreendendo as diferenças – seja pelo signo, pela cultura ou pela personalidade – eu sofro quando sinto que alguém age com um certo egoísmo, principalmente se eu estou sempre ali para ela.

Os primeiros versos saíram no período em que estava em um intercâmbio na Argentina:

Saudade é palavra que você não tem

Respeito é o umbigo que você não vê 

Amor é a parte em que você não crê
Respeito e é por isso que você não vem

Sim, esbarrei com gente bastante egoísta lá e, à distância, reconheci o egoísmo em pessoas que estavam aqui. Em meio à tentativa de entendimento, não parava de ver selfies sendo postadas como se aquilo fosse o presente que nós – que na verdade precisamos de pessoas reais – gostaríamos de ganhar. Eu prefiro um papo ao telefone do que fotos. Prefiro que os ditos amigos apareçam nos meus eventos ou sigam meu canal de clipes no YouTube do que fotos. E olha que ironia: na hora em que pedi fotos, ganhei quase 300 (número maior do que o de seguidores do meu canal).

Na volta ao Rio, pouco a pouco, comecei a me recolocar no mercado e a organizar o espaço de cada pessoa em minha vida. O processo foi árduo, e por isso escrevi a parte da canção mais agressiva.

Por que eu preciso certeza?
Se com gestos, clareza
Já está na mesa
A tua forma de expressão

Diz parte do refrão. Bom, não sei dizer se as pessoas ficaram menos egoístas (Selfie ou não, eis a questão). Mas sei que aprendi a identificar onde não quero mais me meter (ou de que forma posso me meter). O bom é que, se eu gosto da pessoa e vejo a possibilidade de resgatar uma amizade encapsulada por um comportamento que (hoje eu sei que) não curto, eu falo a real e tento negociar. Se eu nem tento fazer isso, aí é porque eu já entrei no modo Selfie-se quem puder mesmo.

Foto: Rod Peixoto
Video mapping: VJ Lê Pantoja

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Required fields are marked *.

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>