Um cordel para celebrar o amor de Chris e Marco

O AMOR EM TRÊS ATOS – DO CARNAVAL AO CASAMENTO

Vou contar uma história
Não é preciso memória
Pras coisas boas lembrar
Em 2010 tudo começou
Chris por Marco se apaixonou
Ele com ela quis casar

De carnaval Chris não gostava
Ia no Rio, mas não brincava
Quando a amiga lhe convenceu
O de Olinda é diferente
Tem boa música e boa gente
Quem vai levar você sou eu

Erika a apresentou a Pernambuco
Parece história de maluco
As jornalistas foram cobrir um festival
Marco foi à conferência no mesmo mês
Mas o encontro não desta vez
Em setembro não tem Carnaval

Até fevereiro de 2010
Distantes quase três milhões de pés
Eles pensavam no retorno triunfal
Luasses e Etiene vinham pro Rio
João e Rachel a Marco não convenciam
Ele queria o verdadeiro Carnaval

A viagem pra Olinda planejou
De Curitiba Marco cansou
“Folia aqui não tem graça”
Rumou pra casa da Mari Lyra
Em Recife passou uns dias
Na Casa da Mãe Joaninha bradou “Que massa!”

Após ir com Rod a João Pessoa
Chris pegou o ônibus pra Olinda na boa
Na Casa da Tua Mãe encontrou Gabriel
Vejam só que coincidência
Marco esbarrou não por consequência
Com o amigo também de nome Gabriel

O primeiro encontro só Chris lembra como se deu
Tudo aconteceu num show de Alceu
Encantou-se com o rapaz que com sua máscara dançou
Marco curtia do camarote as ofertas
E não percebeu que tinha feito a descoberta
No Carnaval do seu grande amor

Era abertura da festa de Olinda
No dia seguinte, em Recife, que coisa linda
Chris chamou Marco no meio da multidão
A conversa parecia interminável
O primeiro dia no Marco Zero é incomparável
Um invadiu do outro o coração

O reencontro demoraria
O beijo só na virada de terça sairia
Na última música do último show do último palco
Foi o terceiro ato dessa história
E se não me falha a memória
Chris e Marco trocaram contato

O amor se consolidou na quarta de Cinzas
Red Label ou Ice no som do taxista
Antes da despedida, tomaram um café
Sanduíche de queijo e flores
Ambos temendo morrer de amores
Decidiram viajar com fé

Pra Curitiba Marco embarcou
Pra Angélica e Michele falou
Que encontrou sua verdadeira paixão
Em Londres Chris contou pra Mariana
Em Niterói, pras amigas Thaís e Fernanda
Ela também queria continuar aquela relação

O segundo encontro foi em Fortaleza
“Nordeste de novo, que beleza!”
Chris conheceu Guti no hotel
Todos com cultura trabalhavam
Chris no blog enquanto eles militavam
No café da manhã, tapioca de coalho e mel

Petrópolis foi no Rio o primeiro destino
A Quaresma terminava pro casal de meninos
Que na Páscoa o namoro consolidou
Graças a Ceci foram à Bahia
Sem Santos Dumont essa história não existiria
O aviador pra padrinho a dupla convidou

Houve muito choro durante um ano
E-mail, telefone e chat não bastavam
Encontravam-se uma vez por mês
Ciúmes e saudades os dois sentiam
Hilda e Érico sempre os socorriam
Valia a pena ver o amor crescer

Em 2011 Marco não aguentou
De mala e cuia pro Rio embarcou
Com Chris pra sempre queria viver
Esbarrou com o amigo de infância Leo
Descobriu Dudu e, na sequência, Daniel
Os padrinhos Kinga e Névio quis conhecer

Num jantar chique no Leblon Marco colocou
A aliança na mão de Chris e ela chorou
Ele prometeu que nunca ia partir
E em uma reunião de família
Pediu a Cristina e Cornélio a mão de sua filha
“Experimentem a vida a dois para decidir”

Em Niterói, todos vibraram
Bernadete e Zé Luís comemoraram
Chris e Marco já tinham irmãos casados
Felipe é pai de Stella
Fábio é o pai de Isabelle
Pra darem netos foram menos pressionados

Ela estuda Letras, mas é jornalista de música
Canta com Taís e é fã de Zé Ramalho e Sivuca
Com Marco foi ao Fórum Social Mundial
Ele é da tecnologia e da ciência política
Curte Boaventura, Toni Negri e uma boa crítica
Foram ver Helen nos EUA após ir com Pedro ao Senegal

Em muitos shows compareceram
Diversas viagens os dois fizeram
De vez em quando visitam Curitiba
Chris conheceu outro Leo, o do Paraná
E não se cansa mais de esperar
Ninguém chora mais por uma partida

O Carnaval no Rio ficou mais divertido
Com o chileno Pablo e aqueles outros amigos
O Ano Novo em Floripa foi com Otávio e Renata
Juntos experimentaram felicidade e sofrimento
Pra ter certeza de que do casamento
Podiam marcar a data

O grande dia finalmente chegou
Pra cerimônia todo mundo se preparou
A ordem é curtir a festa nordestina
Serão pelo Padre e parentes abençoados
E pelos padrinhos neste cordel citados
Sairão casados Marco Antonio e Christina

E assim termina essa história de amor
Que em três atos se consolidou
Agradecemos as avós e ao avô
Foi do Carnaval ao casamento
E que isso sirva de exemplo
Pra todo casal que um dia já amou

  • Cordel recitado durante a cerimônia de casamento do casal, realizada em novembro de 2013, no Rio de Janeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Required fields are marked *.

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>