Sergio Mendes no Rock in Rio: Show certo na hora errada

Pense num primor de show! Banda afinadíssima, repertório coerente, líder simpático e bem-humorado… O problema foi a hora em que Sérgio Mendes ocupou o Sunset. Último nome a ser chamado ao palco secundário do Rock in Rio neste sábado (26/09), um dos brasileiros mais bem-sucedidos no exterior não agitou a plateia com o estilo que priorizou até a entrada de Carlinhos Brown. O sambinha leve, as canções do grupo que Mendes formou quando se mudou para os Estados Unidos, o Brasil 66, e a bossa nova estavam lindos, mas… Complementando a ótima formação com quatro percussionistas, o cantor, compositor e percussionista baiano levou a alegria que faltava às pessoas que assistiam com certa preguiça ao show (algumas até desistiram de ficar até o final). Talvez fosse sucesso certo se essa tivesse sido a primeira ou a segunda apresentação.

Sérgio Mendes e Carlinhos Brown / Foto dos alunos da Estácio de Sá (divulgação Rock in Rio)

Sérgio Mendes e Carlinhos Brown / Foto dos alunos da Estácio de Sá (divulgação Rock in Rio)

Sérgio Mendes deu espaço para todos os músicos mostrarem seu potencial: País Tropical ganhou ótima incursão do rapper H2O; as backing vocals arrasaram na versão em inglês de Águas de Março; o tecladista que também toca flauta fez bonito ao cantar Never Gonna Let You Go; e músicas lindas como Ela é Carioca e The Frog mostraram uma bela sintonia entre o teclado do anfitrião – que fez questão de dizer que é de Niterói – e o resto da banda. Mas tudo estava calmo demais… Até que um negão cheio de brilho, carregando dreads muito compridos, entrou incendiando o palco com Indiado.

Essa primeira que eles tocaram juntos não foi a melhor escolha, afinal, não se trata de uma música muito conhecida… Talvez tenha sido mesmo uma opção. Vai que, depois da Água de Beber interpretada por Mendes, Brown resolve relembrar sua Água Mineral e vira alvo de arremesso de objetos novamente, como aconteceu em 2001?! Melhor recomeçar a história com o Rock in Rio com uma música de Mendes mesmo! E deu certo! Brown agradou em cheio!

A segunda canção apresentada foi Favo de Mel, uma composição de Sérgio Mendes e Carlinhos Brown para a trilha sonora de Rio, a animação do diretor brasileiro Carlos Saldanha, lançada em 2011. Depois do mega-sucesso Mas Que Nada, a última mostrou que a parceria dos brasileiros é mais antiga: Magalenha foi gravada por Mendes com participação de Brown para o álbum Brasileiro, de 1992. Ao final, enquanto a banda seguia repetindo Mas Que Nada, o niteroiense se distraiu com a despedida e, quando viu, o baiano estava mostrando que improvisa bem ao piano. Mendes não só o tirou o chapéu como trocou o dele pelo de Brown em um gesto muito simpático.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Required fields are marked *.

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>