Dado lança disco: ‘Comecei a questionar o que fazer com a música’

Dado Villa-Lobos por Christian GaulApesar da carinha de vinte e poucos anos, Dado Villa-Lobos está cada vez mais perto de se tornar um cinquentão. Apesar da carinha de vinte e poucos anos, o músico não se adaptou totalmente aos tempos modernos. E ainda o assusta a velocidade com que as coisas, pessoas, situações e mercado estão mudando. Prestes a completar 48, o eterno guitarrista da Legião Urbana lança nesta segunda-feira (08/04), no Theatro Net, no Rio de Janeiro, seu segundo disco solo, “O Passo do Colapso”, reunindo músicas que, segundo ele, têm tudo a ver com seu momento de vida.

“Aquele colapso econômico de 2008 e outras situações, como a transformação do mercado fonográfico, me fizeram perceber que a comunicação entre as pessoas estava mais difícil. Também comecei a questionar o que fazer com minha música, o que ela representa pra mim e para as pessoas e para onde todas essas mudanças vão nos levar. O tempo passou e eu me perdi, fiquei com esse sentimento de que estava tudo estranho. Mas sabia que era estranho para os meus padrões anteriores”, reflete Dado.

Principalmente em tempos de Facebook, em que a moda é se mostrar feliz, é difícil uma pessoa pública assumir quando está numa fase como essa. Mas é fato que a maior parte dos seres humanos se sente assim algumas vezes ao longo da vida. Dado é só mais um deles. “Tenho meus pequenos colapsos, que me acompanham”, confessa. Músico, dono do selo Rockit, compositor daqueles que arrecada bastante direito autoral (a maioria das músicas do Legião é dele também), ele entrou em crise. E saiu compondo e reunindo músicas que desenhavam bem o momento.

“Eu estava com as músicas, mas sem ânimo e motivação para levar a ideia adiante. Encontrei Kassin e ele falou: ‘Cara, grava!’ Primeiro grava e depois decide o que fazer. O mais interessante foi que, depois que gravei as 12 faixas e realizei algo que fazia muito sentido, percebi que tinha virado a página. A colaboração das pessoas também ajudou”, conta Dado.

“O Passo do Colapso” traz músicas de outros e algumas compostas em parceria. “Colapso” é de Dado, China e Jr Black e “Lucidez”, do Nenung. Com Nenung, Dado compôs a faixa título. Do Beto Callado, Dado resgatou “Brilho de Gente que Faz Brilhar”. E, de Fausto Fawcett e Laufer, veio “Beleza Americana”, que foi gravada com Paula Toller como backing vocal. Fausto estará no Theatro Net nesta segunda-feira.

Dado Villa-Lobos - O Passo do Colapso“A música do Fausto fala do colapso do império americano. Essa do Beto eu tinha numa demo de uma banda dele que não chegou a estourar. O Nenung, eu encontrei numa excursão pelo Rio Grande do Sul. Mandei uns temas e ele fez letras incríveis. Aí foram pintando parcerias nas gravações, como com Bi Ribeiro e João Barone. Quitei uma dívida de gratidão que eu tinha com os Paralamas do Sucesso, que me tiraram do limbo para gravar o acústico deles”, explica Dado.

Vamos deixar os exageros de lado, né? Afinal, Dado nunca esteve no limbo. Só para refrescar a memória, no final da década de 90, a Legião sofreu a perda de Renato Russo e, já no início dos anos 2000, Dado estava fazendo músicas para a telona, o que lhe rendeu até o prêmio de melhor trilha sonora no Festival do Cinema Brasileiro, em Miami. Em 2005, o guitarrista estreou em disco sozinho com “Jardim de Cactus ao Vivo”, no projeto MTV Apresenta. “O Passo do Colapso” segue um pouco a mesma onda musical, com climas e atmosferas bem parecidas. “Parece uma trilha sonora sobre o assunto, né?”, brinca.

Dado também convidou o parceiro legionário Marcelo Bonfá para fazer algumas baterias do disco: “A gente tem uma relação intrínseca!”. Mallu Magalhães, que também participará do show de lançamento do álbum, emprestou a voz para a canção “Quando a Casa Cai”, também de Nenung. O álbum tem ainda uma citação do poeta Eduardo Galeano na faixa “O parto”.

“Fui voltando ao que seria normal. Quero dizer, veio o passo do colapso, porque normal, jamais!”

Show ‘O Passo do Colapso’: Segunda (08/04), às 21h, no Theatro Net (Sala Tereza Rachel, na Rua Siqueira Campos, 143 / Sobreloja, Copacabana). Ingresso: R$ 110 (plateia e balcão), sendo que idosos, estudantes, professores da rede municipal, assinantes O Globo e NET têm 50% de desconto.

Ouça as músicas de “O Passo do Colapso” no Youtube:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Required fields are marked *.

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>