Para o novo disco, Katia B buscou músicas com a cara do seu momento

Posted by Chris Fuscaldo Category: Entrevistas Tag: ,

Katia B parece estar vivendo uma fase especial. Assim, sem intimidade com ela, que sempre foi tão reservada, não dá para saber exatamente o que está acontecendo na vida da cantora,  mas sua música entrega alguns dos seus sentimentos. Resignação ao cantar “Aprendendo a viver, eu vou / Aprendendo a querer, estou” na canção “Aprendendo a Viver”? Cansaço ao soltar palavras como “Quantas vezes vou te ensinar / A fazer para uma mulher o bem”, que estão em “O Baile”? Será paixão, que cita na música “Armadilha” (“Eu mudo de lugar / Maravilha se apaixonar”)? É possível que ela esteja experimentando tudo isso! Parcerias de Katia B com Rubinho Jacobina, Jam da Silva e Dé Palmeira/Teresa Cristina, respectivamente, todas estão em “Pra mim você é lindo”. O quarto disco da cantora traz 11 faixas, segundo ela, garimpadas para serem a trilha sonora do seu momento de vida.

“Para formar o repertório, meu critério é buscar músicas que tenham a cara do meu momento de vida, é construir um enredo a partir de um mote, um assunto. Mas o caminho é bem sensorial. Começa de algum lugar espontâneo, a partir daí parece que uma coisa vai chamando a outra e o disco vai se desenhando. Pra mim é importante ter uma rotina, me dedico diariamente ao processo de criação do trabalho novo e tudo vai se revelando aos poucos”, conta.

Confira o que Katia B fala sobre o processo de produção e gravação do álbum:

Como essas músicas foram chegando a você e como fez para selecionar 11?

Comecei a fazer encontros com alguns parceiros para inciar o processo de composição do novo repertório. Tenho um espaço de trabalho na minha casa e desses encontros surgiram algumas parcerias do disco. Resgatei um pedaço de música que eu e Dé Palmeira tínhamos começado dois anos antes e mandei para Teresa Cristina. Nasceu “Armadilha”, terminada aqui em casa, junto com Teresa. “Le Temps de L’Amour eu canto desde que me apresentei na França em 2006. Resolvi gravar, essa música me deixa ser um pouco atriz, e eu gosto. “Sete Mil Vezes”, do CaetanoVeloso, eu estava estudando na aula de canto e fiquei com vontade de gravar. É uma música menos conhecida dele, isso e meu prazer de cantá-la foram minhas motivações. “Where is Yorr Heart?” foi a primeira música que compus nessa nova leva de canções. Eu achei esse caminho de compor em outra língua pra expressar e transformar um momento doloroso. E assim foi indo, no final de tudo surgiu a vinheta que compus com meu filho Vicente. Gravamos num domingo de verão de manhã, e a voz que está no disco é a do momento da composição, um final singelo.

Pode falar um pouco da sua relação com esses compositores?

Eu adoro encontrar os compositores independente do vínculo pessoal que temos. A música é a grande motivação para os encontros. A relação acontece depois da música, que vem em primeiro lugar. Rubinho Jacobina e eu já tínhamos feito duas músicas para o Carnaval da escola dos nossos filhos. A gente se via por lá casualmente e a vontade de compor fez a gente se encontrar, a gente nem se conhecia tão bem. Daí surgiu também “Aprendendo a Viver”, nossa parceria que está no disco. Com a Teresa Cristina foi lindo. Mandei pra ela um pedaço de música inacabado, ela veio na minha casa, passamos a tarde juntas conversando e compondo. “O Baile”, parceria minha com Jam da Silva, também foi composta nesses encontros caseiros. Tocamos, cantamos, dançamos. Depois, eu organizo.

Fiquei curiosa sobre as músicas estrangeiras… Por que elas?

Sempre compus e cantei em inglês. Compus “One More Shot” ( Katia B/ Dé Palmeira), “Are You Sleeping?”( Katia B/ Suba/ Bid) e agora “Where is Your Heart?” ( Katia B). Gosto de cantar em outros idiomas, gosto de estudar a pronúncia e me aventurar em outras linguagens.

Há quanto tempo você estava pensando esse disco e quanto tempo levou a produção dele?

O processo durou um ano. Não sei explicar porque começa, mas quando vem é muito forte e claro. E eu tenho que começar e ir até o fim.

E o show, como está e com quem você estará no palco?

Estou no palco com os dois produtores do disco, Lucas Vasconcellos e Bernardo Bosísio no baixo, mpc, charango, guitarra e vocais, com o Marcelo Vig na bateria e com o Guilherme Gê nos teclados. Além de cantar, toco violão e guitarra. Eu e Lucas Vasconcellos também estamos fazendo um show no formato duo, um pocket mais eletrônico. Ele na MPC, sampler e vocal, eu no vocal e violão.

Acesse o site para ouvir “Pra Mim Você é Lindo” e saber mais sobre Katia B

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Required fields are marked *.

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>