‘Sexo é a principal porta para o amor’, declarou Erasmo Carlos em palco carioca

O que era para ser apenas o lançamento do álbum “Sexo” virou uma festa de arromba na Lapa, nesta sexta-feira (23/03). Erasmo Carlos subiu ao palco do Circo Voador com a banda mais rock’n’roll que ele podia conseguir montar, não deixou a peteca cair nem mesmo quando apresentou músicas novas e ainda desconhecidas e esbanjou energia em quase duas horas de show. “É um orgasmo inenarrável estar gozando aqui com tanta gente tão bonita”, brincou o Tremendão pouco depois do início do show, quando já tinha agitado os fãs com sucessos como “Filho Único” e “Mesmo Que Seja Eu”.

‘Sexo é a principal porta para o amor’

E a intenção de Erasmo era homenagear o amor. O astro da noite não economizou romantismo e entoou sucessos que ele e Roberto Carlos fizeram juntos em um pot-pourri, segundo ele, de músicas de motel: “Olha”, “Café da Manhã”, “Detalhes”, “Proposta” e “Como é Grande o Meu Amor Por Você” estavam entre elas. Mas, antes, brincou de conquista ao dizer: “Agora é hora do sexo oral.” E apresentou “Apaixocólico Anônimo”, que está na trilha sonora da novela da TV Globo Aquele Beijo. A frase que virou entretítulo desta matéria foi declamada em um momento de emoção ao ver uma plateia tão devota.

Para agradar aos fãs, incluiu “Gatinha Manhosa” no repertório. “Os Rolling Stones cantam ‘Satisfaction’, Roberto Carlos canta ‘Detalhes’. Los Hermanos não cantam ‘Anna Júlia’ porque não querem, mas o pessoal fica triste. Eu não quero ver ninguém triste”, comentou, antes de tocar a canção que embalou muitos casais durante a Jovem Guarda. Quase finalizando o show, disparou “Pode Vir Quente Que Eu Estou Fervendo” e “É Proibido Fumar”. Na tentativa de sair do palco, foi agarrado pelo roadie e voltou para fazer do bis uma continuação do show. Teatro, claro. Bem bolado. Palmas para o Tremendão que foi o que nenhum artista conseguiu ser nos últimos tempos: original. E o “bis” contou com “Pega na Mentira”, “Cover” e “Festa de Arromba”. Na música do álbum “Rock’n’Roll”, lançado antes de “Sexo”, mas já com a mesma proposta, recebeu no palco a visita de Raul Seixas, Marilyn Monroe e Roberto Carlos. Eram os covers deles, claro.

Erasmo Carlos tocou acompanhado pelo maestro José Lourenço (teclados), Percy (guitarra), Billy Brandão (guitarra solo) e com os integrantes da banda Filhos da Judith Pedro Dias (baixo), Luiz Lopez (guitarra) e Alan Fontenele (bateria), que abriram a noite com show de seu primeiro álbum de músicas próprias. E recebeu, na plateia e no camarim depois do show, Serguei e Érika Martins, duas gerações de roqueiros.

One thought on “‘Sexo é a principal porta para o amor’, declarou Erasmo Carlos em palco carioca

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Required fields are marked *.

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>